Unicamp reúne time de especialistas para elucidar dúvidas sobre a pandemia do coronavírus


Encontre aqui 27 perguntas e respostas sobre o coronavírus, com informações de especialistas da Unicamp.

19 de março de 2020  | originalmente publicado por Portal FCM

A pandemia do novo coronavírus (Covid-19) veio para ficar. Nesse momento que todos buscam informações sobre o vírus, formas de transmissão e cuidados, muitas dúvidas ainda pairam no ar. A Faculdade de Ciências Médicas (FCM) da Unicamp, por meio de seus canais oficiais de comunicação – site, Facebook, Fale Conosco, Instagram – tem recebido perguntas de pessoas que buscam informações confiáveis sobre o novo coronavírus. Por isso, reunimos nosso time de especialistas entre infectologistas, virologistas, clínicos gerais, medicina do trabalho, sanitaristas, epidemiologistas, dentre outros, para dirimirem as dúvidas sobre a pandemia.

Montamos um sessão com as perguntas mais frequentes (FAQ) para facilitar o entendimento sobre a doença, sintomas, formas de contágio e dúvidas comuns e até mesmo inusitadas. Tem dúvidas sobre o coronavírus? Escreva que iremos atrás de nossos especialistas em busca de respostas. Sua dúvida poderá aparecer aqui e ajudará a esclarecer mais pessoas sobre o coronavírus, problema de Saúde Pública que afeta não só o Brasil, mas o mundo.

 

1) Quais diferenças dos sintomas entre resfriado, gripe e coronavírus?

2) Quando uma pessoa deve procurar atendimento médico?

A pessoa deve procurar atendimento médico quando ela tiver febre, tosse, nariz escorrendo, falta de ar e cansaço para fazer as atividades. A pessoa deve comparar seu estado atual com as gripes e resfriados que já teve ao longo da vida e procurar atendimento médico da mesma forma que iria se tivesse uma gripe.

3) Quais são os grupos de risco do coronavírus?

Todos somos susceptíveis, não existe um grupo de risco especial. Até bem pouco tempo eram as pessoas que tinham retornado de viagem internacional para os países afetados, mas com a declaração de pandemia, todos os países passaram a ser de risco e, posteriormente, com a ocorrência de transmissão local (pelo menos em alguns estados brasileiros), não há quem possa ser considerado como não tendo risco de adquirir o vírus. Entretanto, os grupos de maior risco são as pessoas acima de 60 anos, diabéticos, cardiopatas, com problemas de pulmão e imunossuprimidos de maneira geral, quer por terem feito transplantes de órgãos ou por tomar de remédios biológicos.

4) Quais são os hábitos que devemos manter para evitar a propagação do coronavírus?

O hábito que devemos ter nesse momento é isolamento social, sair de casa apenas para ir ao supermercado ou farmácia. Lavar as mãos com água e sabão, cobrir nariz e boca ao espirrar ou tossir. Não compartilhar objetos de uso próprio, como escova de dente, lâminas de barbear ou depilação, não tomar do mesmo copo ou xícara de café, canudinho, garfo ou faca sem lavá-los antes. Não é para ir para balada, festinha de filho ou casamento. Todas essas atividades, na medida do possível, devem ser canceladas. Se sou madrinha de casamento e o casamento não foi adiado, eu não devo entrar em contato com pacientes idosos no período de 14 dias.

5) Como o vírus é transmitido?

O vírus é transmitido principalmente através de saliva, espirro, tosse e pode ser transmitido pela mão, se estiver contaminada, ou por uma caneta, porque empresto, ou o copo porque tem saliva

6) Como é feito o tratamento?

Não existe um tratamento específico para a infecção pelo Covid-19. Dependendo da gravidade do quadro, pode ser desde repouso e boa alimentação (casos leves, a maioria deles) até assistência ventilatória com ventiladores mecânicos em unidades de terapia intensiva (uma parcela ínfima dos casos).

7) Há remédios que podem ser tomados?

O tratamento é com pessoas que tem os sintomas e deve-se restringir o uso de antitérmicos com paracetamol e dipirona. Não deve ser usado medicamentos à base de ibuprofeno para melhorar a dor no corpo ou febre. Deve-se, sim, ter muita hidratação.

8) Animais domésticos podem ser contaminados e transmitir o coronavírus?

Os animais domésticos não são reservatórios, eles não transmitem, mas pessoas suspeitas ou com infecção pelo Covid-19 não devem ter um contato próximo com seus animais de estimação. Não deve dar beijinho no focinho do animal, não deve deixar o animal lamber o rosto ou compartilhar o bife o arroz no mesmo garfo que está comendo e não dormir na mesma cama.

9) Por que devemos evitar aglomerações ou multidões de pessoas?

Como o vírus se transmite de pessoa a pessoa, quanto mais próximas as pessoas estiverem, mais fácil será a saliva de uma pessoa atingir as mucosas de outra pessoa. Devemos evitar aglomerações ou multidões porque posso estar num período em que estou transmitindo o vírus sem sintomas ou com sintomas leves e vou transmitir para outras pessoas que depois vão transmitir para seus pais, avós e que vão ter uma doença grave e necessitarão de terapia intensiva e não há rede de saúde pública ou privada suficiente para atender essas pessoas.

10) Como o coronavírus afeta a vida sexual das pessoas?

O coronavírus pode efetar a vida sexual no sentido de que as pessoas devem restringir seus parceiros, pois devemos viver no isolamento social. Não podemos beijar ou abraçar, atos que são os preâmbulos de uma relação sexual. O desestímulo às aglomerações e proibição de funcionamento de bares e boates pode interferir nos encontros pessoais. Uma pessoa gripada fica com menos disposição para transar; espirrando e tossindo, eliminando secreções, pode se tornar menos atrativa ao ato sexual.

11) A curva da epidemia deve cair em que momento?

A curva da epidemia não começou a subir ainda e, talvez, dure dois ou três meses. Devemos lembrar que o Brasil está entrando no período de outono e inverno, por isso, é possível que tenhamos um período mais prolongado do Covid-19 entre nós.

12) É verdade que o coronavírus não sobrevive a uma temperatura acima de 27o.C?

O coronavirus é, realmente, termolábil. Entretanto, tínhamos a expectativa que o vírus não sobrevivesse em temperaturas altas, mas temos tido o Covid-19 em climas mais elevados. Então ele resiste, sim. Se eu colocar um copo para esterilizar no micro-ondas, lá ele não vai resistir, mas na temperatura ambiente ele sobrevive.

13) Ingerir vitamina C, fazer guargarejo, tomar chás… existe algum tratamento alternativo para evitar o contágio?

Não existe nenhum tratamento alternativo para evitar o contágio. O que se evita o contágio é ficar quietinho, lavar as mãos sempre, com água e sabão, por no mínimo 20 segundos. Não é uma passadinha de água embaixo da torneira. É lavar a frente e o verso das mãos, ente os dedos até o polegar e chegando até o punho, por no mínimo 20 segundos. Se não tiver água e sabão disponível, higienizar as mãos com álcool gel 70 porcento.

14) Ar condicionado (em casa, ou no carro) favorece o contágio por coronavírus?

O ar condicionado e ambientes fechados favorecem a transmissão por que o ar não circula. Se tenho outra pessoa que está eliminando o vírus é mais fácil do vírus ficar ali. Devemos procurar ambientes arejados, dar preferência para viajar com as janelas dos carros abertas, principalmente quem anda de taxi ou Uber.

15) Não consigo deixar de trabalhar para ficar em quarentena, como posso me proteger e proteger outras pessoas?

Preferencialmente, as pessoas devem trabalhar em casa e fazer as suas atividades de trabalho virtuais. Caso isso não seja possível para pessoas que trabalham em áreas administrativas, da saúde ou da segurança, por exemplo, os cuidados são de não tocar nas pessoas, não abraçar, não beijar ao cumprimentar e manter sempre a higiene, lavando as mãos com sabão ou usando álcool gel.

16) Existe perspectiva de desenvolvimento de uma vacina contra o coronavírus?

Existem várias tecnologias de produção da vacina e a produção já é conhecida. Só que, dependendo do agente infeccioso, a vacina é demorada ou exige mais conhecimento para o seu desenvolvimento seguro. No momento, não temos uma perspectiva de ter uma vacina há curto prazo.

17) Como é produzida uma vacina?

Ela é produzida, fundamentalmente, com porções que tem a capacidade de estimular o sistema imune (imunogênicas) à determinado patógeno, porém sem capacidade de causar doença. Elas são injetadas no organismo humano que, então, se vê estimulado a produzir anticorpos. Na eventualidade de uma exposição ao referido patógeno, no caso o Covid-19, o sistema imunológico já está preparado para produzir a resposta imunológica à agressão, de forma mais veloz e mais eficazmente.

18) No caso do coronavírus, é segura?

Não existe vacina contra coronavirus, ainda, mas se houver, há de ser segura.

19) Como a influenza, a vacinação deverá ser anual?

As pessoas dos grupos de risco devem tomar a vacina contra a influenza que vai proteger contra a gripe, que vai chegar daqui a pouquinho também no Brasil. Aliás, já temos o vírus influenza circulando e dando quadros respiratórios graves. Todos os contemplados pelo Ministério da Saúde para a vacina contra a gripe devem tomar a vacina. A dependência do coronavírus no país vai indicar qual a periodicidade da vacinação, quando houver a vacina para o Covid-19. Não sabemos se ele veio para ficar ou se é só uma temporada e, depois, ele vai embora.

20) A  mistura de álcool comum com vinagre pode ser usado para higienização das mãos?

Não

21) Aspergir álcool 70 porcento no ambiente é eficiente para eliminar o vírus Covid-19?

Aspergir não é eficiente. Limpar superfícies, ajuda.

22) Como e onde é feito o teste para detecção do Covid-19? Quanto custa?

É feito lela técnica conhecida por reação em cadeia da polimerase em tempo real (rt-PCR). No SUS, não tem custo. Em redes privadas, não sabemos o valor do exame.

23) Que tipo de máscara deve ser usada para controlar a transmissão do vírus?

Para a população em geral, máscara comum.

24) Essas máscaras são seguras? Como devo higienizá-las?

Sim, são seguras. Elas são descartáveis e devem ser trocadas a cada duas horas.

25) É verdade que as unhas devem estar sempre bem curtas porque o vírus pode se “alojar” em unhas cumpridas?

Sim, vírus e bactérias se alojam nas unhas também, e se elas estiverem muito compridas, aumenta o risco de elas não estarem bem limpas e, com isso, aumentar a transmissão. Profissionais da saúde não podem ter unhas compridas. Para a população geral, é importante que todos mantenham suas unhas limpas e o mais curto possível, de acordo com suas preferências pessoais.

26) É verdade que se a gente beber bebidas quentes como cafés e chá, matamos o vírus porque ele não sobrevive a temperaturas altas?

Não, não é verdade. Veja a resposta da pergunta 12.

27) É verdade que o vírus pode ficar em partes do carro? E, sendo assim, se um UBER pegou alguém com vírus ele também pode passar para outro passageiro? Temos que esterilizar os carros?

Vírus e bactérias contaminam todas as superfícies, incluindo as citadas. Devemos lavar as mãos após tocar todas essas superfícies. Não há possibilidade de “esterilizar” carro, portas, maçanetas, etc. O importante é higienizar as mãos.