Unicamp: Hospital de Clínicas realiza a 100ª cirurgia de epilepsia em crianças


CEPID BRAINN - cirurgia para epilepsia - 100a no hospital da unicamp

Procedimento foi implantado na universidade em 1998 pelos neurologistas Fernando Cendes, Marilisa Guerreiro e Carlos Guerreiro.

18 de março de 2020  | originalmente publicado por Portal do Governo

O Hospital de Clínicas (HC) da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) acaba de realizar a 100ª cirurgia de epilepsia em crianças. De acordo com a neurologista infantil e professora do Departamento de Neurologia da Faculdade de Ciências Médicas (FCM) da Unicamp, Maria Augusta Montenegro, a cirurgia de epilepsia infantil foi implantada na universidade em 1998 pelos neurologistas Fernando Cendes, Marilisa Guerreiro e Carlos Guerreiro.

Segundo a neurologista, o procedimento é indicado para pacientes com epilepsia refratária, em que os remédios não são suficientes para controlar as crises, e que apresentam um foco epiléptico bem definido. O objetivo é controlar ou diminuir o número de crises epilépticas, permitindo melhor desenvolvimento e qualidade de vida da criança.

Maria Augusta Montenegro concedeu uma entrevista ao Portal da Unicamp na qual destaca quem pode ou não passar por esse tipo de procedimento. Ela também falou sobre a dieta cetogênica adotada para o controle das crises epilépticas, rica em gordura, em que a fonte de energia passa a vir da gordura, e não da glicose.

De acordo com a docente, isso muda o metabolismo do corpo, que passa a queimar a gordura da dieta e produzir corpos cetônicos (daí o nome da dieta). “Não se sabe ao certo o mecanismo de ação, mas 30% dos pacientes têm melhora expressiva com a dieta”, explica a neurologista.