INES 2019: pesquisadores de nove países participam do evento


Matéria da FCM Unicamp destaca evento sobre neuroimagem e neuropatologia em epilepsia apoiado pelo CEPID BRAINN.

15 de agosto de 2019  | originalmente publicado no website da FCM Unicamp

No período de 24 a 27 de julho, a Faculdade de Ciências Médicas (FCM) da Unicamp foi sede da 10th International Summer School for Neuropathology and NeuroImaging in Epilepsy (INES 2019). Realizado pelo Departamento de Anatomia Patológica e Departamento de Neurologia da FCM, com o apoio do Brazilian Institute of Neuroscience and Neurotechnology (Brainn), o curso contou com a participação de pesquisadores do Brasil, Chile, Venezuela, México, Colômbia, Honduras, Uruguai, Peru e Alemanhã.

Pela terceira vez na Unicamp, o pesquisador da Friedrish-Alexander Universität ErlangenNürnberg (FAU), Ingmar Blümcke, se disse impressionado com a receptividade e qualidade dos pesquisadores brasileiros. “O grupo do professor Fernando Cendes é um dos mais fortes do mundo no que se refere aos estudos relacionados à epilepsia. A Unicamp é muito forte nessa área. Alguns dos estudantes estão aqui pela segunda vez para participar do treinamento”, comentou Blümcke.

CEPID BRAINN - INES 2019 - equipe e participantes

Convidado para compartilhar sua expertise no campo da neuropatologia, Blümcke afirmou que assim como a área contribuiu para o avanço no tratamento de diversostumores cerebrais, ela pode contribuir de forma significativa no tratamento da epilepsia. “A partir da análise do tecido cerebral extraído pelo neurocirurgião, o patologista levanta algumas hipóteses e cruza as informações com os dados clínicos. Com o diagnóstico mais preciso das lesões cerebrais, é possível tornar o tratamento dos pacientes mais eficiente”.

“Integrar os achados neuropatológicos com os achados de neuroimagens era uma demanda que sempre existiu e que conseguimos trazer para dentro do INES 2019. As edições anteriores focavam mais nos achados patológicos muito embora discutíssemos imagens também. Agora, conseguimos uma abordagem mais prática para integrar ambos os conceitos. Penso que essa é uma tendência que ficará para os próximos anos”, disse o docente do Departamento de Anatomia Patológica da FCM, Fábio Rogério.

Ainda de acordo com Fábio, tanto para a pesquisa, quanto para o diagnóstico, a multidisciplinaridade veio para ficar. “Para o diagnóstico é essencial correlacionar os dados de imagem com os dados que serão vistos na análise do tecido retirado do paciente, após a cirurgia. A integração entre diferentes áreas e disciplinas também é fundamental para pensar em novas estratégias de pesquisa”, comentou o neuropatologista.

 

INES 2019

O curso foi realizado com o apoio da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp), The International Society of Neuropathology, Brazilian Institute of Neuroscience and Neurotechnology (Brainn), Liga Internacional contra a Epilepsia (ILAE) e Friedrish-Alexander Universität Erlangen-Nürnberg.

 

Veja a notícia no site da FCM-Unicamp