Brasileiros criam sistema que move cadeira de rodas por expressões faciais


Hoo box materia VivaBem

Website “VivaBem”, do grupo UOL, entrevista o pesquisador Paulo Gurgel Pinheiro, que integrou o CEPID BRAINN como pesquisador associado na equipe do Professor Eleri Cardozo.

04 de fevereiro de 2019  | matéria originalmente publicada no site VIVABEM

A startup paulista Hoobox Robotics criou um sistema de reconhecimento facial que traduz expressões em comandos para o movimento de cadeiras de rodas, desenvolvido com com apoio do Programa Pesquisa Inovativa em Pequenas Empresas (PIPE) da FAPESP.

O sistema traduz expressões faciais em comandos para controlar uma cadeira de rodas, sem exigir sensores corporais. Hoje, a tecnologia permite reconhecer mais de 10 expressões, como o arquear das sobrancelhas ou piscar dos olhos. Também é capaz de prever quando o usuário vai tossir, espirrar ou bocejar, ou quando está conversando com alguém. Nessas situações, o reconhecimento das expressões é desabilitado para impedir um movimento não desejado da cadeira e evitar acidentes.

As expressões faciais dos usuários são capturadas por uma câmera e interpretadas por algoritmos executados em um minúsculo computador de bordo, acoplado na cadeira. Os algoritmos transformam as expressões em comandos de controle, como ir para frente ou para trás e girar para a esquerda ou para a direita.

Disponível em um kit, batizado de Wheelie 7, a solução leva apenas sete minutos para ser instalada em qualquer cadeira de rodas motorizada disponível no mercado, promete a empresa.

“O sistema é capaz de capturar informações de quase 100 pontos do rosto de uma pessoa, como o formato da boca, do nariz, dos lábios e a cavidade dos olhos, com alta precisão”, afirmou Pinheiro.

Leia a matéria completa no VivaBem

 

Saiba mais sobre a Hoobox
A HOOBOX Robotics foca no estudo e no desenvolvimento de soluções inovadoras para controle de cadeiras de roda.

Website: www.hoo-box.com