AAIC 2019: principal evento científico sobre Alzheimer conta com participação do CEPID BRAINN


Compartilhe! / Share this!
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Aluno do CEPID ganha participação no evento e apresenta trabalho sobre redes neuronais no Alzheimer.

25 de novembro de 2019  | por Redação WebContent

A Alzheimer’s Association International Conference, evento científico internacional conhecido pela sigla “AAIC“, é o maior encontro global dedicado a discussões sobre avanços na compreensão e no combate a demências. O Alzheimer é o principal foco da conferência, na qual pesquisadores discutem as últimas descobertas científicas, métodos de prevenção e de cuidados inovadores e melhorias no diagnóstico da doença.

A edição deste ano contou com uma participação especial, diretamente ligada ao CEPID BRAINN. O pesquisador Bernardo Luz, vinculado aos grupos de pesquisa dos professores Márcio Balthazar e Fernando Cendes, foi um dos agraciados com inscrição e viagem pagas pelo evento a fim de apresentar seu trabalho sobre redes neuronais no Alzheimer.

“O objetivo do meu trabalho é descobrir se as alterações de funcionamento nas redes neuronais de larga escala podem ajudar a diferenciar pacientes que estão iniciando a demência daqueles que já têm ela bem estabelecida”, explica Bernardo.

“No futuro, isso poderá ajudar no diagnóstico precoce da doença, além de permitir identificar aqueles indivíduos que possuem alterações “leves” de memória, que não afetam a independência para atividades cotidiana, e que realmente vão evoluir para Alzheimer”.

Tais resultados são importantes pois, quanto mais cedo o diagnóstico, mais cedo técnicas terapêuticas poderão ser iniciadas, melhorando o prognóstico de progressão do Alzheimer.

No AAIC, Bernardo apresentou o pôster do trabalho “Default Mode Network Connectivity in MCI Subgroups According to AT(N) Classification Compared to Healthy Aging“, no qual utilizou a ressonância magnética funcional a fim de analisar, em pacientes com perda leve de memória, se outros marcadores já clássicos da doença mostrariam diferentes resultados de conectividade. São co-autores do trabalho os pesquisadores Thamires N.C. Magalhães, Lourenço RB, Luciana R.P. Silva, Matheus Nogueira, Ana Flávia Mac Knight Carletti, Brunno M. Campos, Fernando Cendes e Marcio L.F. Balthazar.

 

Para ler o resumo do trabalho, acesse o link a seguir:

Ler o Abstract (em inglês)

 


Compartilhe! / Share this!
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •