BRAINHACK: um evento “mão na massa” para interessados em neurociências


Palestras sobre o estado da arte em neurociências, trabalhos em grupo na resolução de desafios e forte networking marcam o 1º BRAINHACK de Campinas.

20 de setembro de 2018  | por Redação WebContent

 

brainhack - imagens cerebraisUm evento científico “mão na massa” e colaborativo, em que estudantes de diversas áreas do conhecimento poderão trabalhar lado a lado a renomados pesquisadores na resolução de problemas atuais em neurociências. Esta é a proposta do SÃO PAULO-ALBERTA BRAINHACK, um workshop diferente e que traz sua primeira edição à Faculdade de Engenharia Elétrica e de Computação (FEEC) da Unicamp.

O workshop é organizado por neurocientistas da FEEC/Unicamp e da Universidade de Calgary, uma das instituições de ensino mais prestigiadas do Canadá. Doze pesquisadores, nacionais e internacionais, darão palestras durante os três dias de evento, entremeadas por sessões em que times de participantes trabalharão, juntos, na resolução de um “desafio” em neurociências proposto pela organização.m evento científico “mão na massa” e colaborativo, em que estudantes de diversas áreas do conhecimento poderão trabalhar lado a lado a renomados pesquisadores na resolução de problemas atuais em neurociências. Esta é a proposta do SÃO PAULO-ALBERTA BRAINHACK, um workshop diferente e que traz sua primeira edição à Faculdade de Engenharia Elétrica e de Computação (FEEC) da Unicamp.

Será uma oportunidade ímpar de se atualizar em neurociências e fortalecer o networking com profissionais de diferentes backgrounds acadêmicos, porém interessados nas ciências e tecnologias do cérebro.

 

UM EVENTO “MÃO NA MASSA”

hackathon mao na massa

Assim como acontece em tradicionais “hackathons”, o principal mote do evento é reunir os participantes em um trabalho prático e ativo de aprendizagem e de resolução de problemas. Porém, diferentemente dos hackathons, o BRAINHACK envolve o trabalho conjunto de estudantes de áreas diversas do conhecimento, que não precisam saber de antemão programação.

Os desafios em neurociências só podem ser superados com o trabalho conjunto de estudantes de engenharia, física, medicina e computação. Cada time terá três dias de trabalho e será orientado por um dos palestrantes do evento.

Dois desses desafios já foram divulgados a ajudam a exemplificar como cada disciplina irá contribuir para sua resolução:

  • Desafio 01: otimizar a obtenção de imagens de ressonância magnética;
  • Desafio 02: aumentar a acurácia na segmentação de imagens de uma seção cerebral.

Parece complexo, mas a interdisciplinaridade entra em ação para trazer soluções aos problemas propostos. Em ambos os casos, estudantes de física e engenharia trabalharão na obtenção e análise dos dados, engenheiros da computação poderão programar interfaces e algoritmos de otimização e estudantes de Medicina avaliarão e interpretarão os resultados obtidos, explicando sua relevância clínica e contextualizando o achado frente às realidades médicas mais atuais. Estudantes de física médica, por sua vez, poderão enriquecer o grupo com sua experiência no uso dos instrumentos e com sugestões de aperfeiçoamento. Interessados em bioestatística conseguirão extrair insights valiosos a partir do conjunto de dados. Há espaço para o trabalho de todos nos desafios.

 

PALESTRAS

brainhack 2018 - lista de palestrantesOs períodos de trabalho em grupo serão intercalados por palestras rápidas, de cerca de 40 minutos, e que discutirão tanto pontos básicos sobre a teoria por trás dos desafios – como o funcionamento da ressonância magnética, o que é machine learning etc – quanto farão exposições sobre o estado da arte em neurociências e novas tecnologias.

Confira, a seguir, alguns dos temas que serão discutidos:

  • Introdução a conceitos básicos de aquisição de imagens por ressonância magnética (RM) e k-space
  • Machine learning para imageamento cerebral (com aplicações clínicas)
  • Uso de sistemas computacionais para diagnósticos de doenças cerebrais a partir de imagens de RM
  • Avanços na tecnologia de RM e a necessidade de reduzir o tempo de escaneamento e de aquisição de imagens
  • Uso de Deep Neural Networks para classificação de câncer de pele
  • Conceitos e atualizações em content-based image retrieval (CBIR) para aplicações médicas
  • Imageamento por RM, arquivos DICOM, VTK, uso de ferramentas avançadas de normalização de dados
  • Anonimização de imagens, controle de qualidade e PACS (Picture Archiving and Communication System)

 

AGENDA

O BRAINHACK ocorre entre os dias 17 e 19 de outubro (quarta à sexta-feira), na Unicamp (encontre a localização no mapa logo a seguir).

Além de fazer parte dos trabalhos em grupo e de assistir às palestras, participantes interessados poderão apresentar seus trabalhos nas sessões de pôsteres do evento.

Acesse o site oficial para inscrições e mais informações:

Website BRAINHACK

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *