Alunas do BRAINN são premiadas no 37º Congresso da Liga Brasileira de Epilepsia


premio Cesare Lombroso cepid brainn 2018

As pesquisadoras Luciana Ramalho e Vanessa Almeida receberam prêmios por estudos de destaque durante o evento. Saiba detalhes a seguir.

19 de junho de 2018     | por Redação WebContent

Dois trabalhos desenvolvidos por alunas do CEPID BRAINN foram premiados no 37º Congresso da LBE (Liga Brasileira de Epilepsia).

As alunas Luciana Ramalho, orientada pelo pesquisador responsável pelo BRAINN, dr. Fernando Cendes, e Vanessa Almeida, orientada pela dra. Ísica Lopes-Cendes, receberam os prêmios Cesare Lombroso e Aristides Leão, respectivamente. As honras são voltadas a pesquisas relacionadas a estudos clínicos e experimentais.

O Congresso ocorreu em São Paulo nos dias 6 a 9 de junho de 2018. Confira a seguir mais detalhes sobre as premiações.

 

Prêmio Cesare Lombroso (Estudos Clínicos)

  • Título: “Resposta farmacológica e lado da esclerose hipocampal: efeito independente sobre metabólitos neurogliais medidos por espectroscopia de prótons por ressonância magnética em epilepsia do lobo temporal mesial
  • Autoria: Luciana Ramalho, aluna de Pós-doutorado, desenvolveu este estudo em seu doutorado sob orientação do Prof. Dr. Fernando Cendes, FCM -Unicamp.

O resultado desse estudo mostrou que há diferentes perfis de pessoas com epilepsia de lobo temporal mesial, o que possibilitará uma melhor compreensão dos mecanismos por trás desses perfis, bem como viabilizar o desenvolvimento de abordagens terapêuticas mais adequadas (Texto da autora).

 

Prêmio Aristides Leão (Estudos Experimentais)

premio aristides leao cepid brainn 2018

  • Título: “Mosaicismo Somático nas Displasias Corticais Focais
  • Autora: Vanessa Almeida, desenvolveu este estudo em seu doutorado sob orientação da Professora Iscia Lopes-Cendes, FCM-Unicamp.

Este estudo encontrou uma alta frequência de mutações em mosaico em pacientes com Displasias Corticais Focais (DCF), além das diferentes abordagens genéticas utilizadas mostrarem que a investigação molecular não se limita a mutações em mosaico, mas também a outras classes de mutações potencialmente patogênicas, como alterações estruturais, e mutação germinativa no gene TSC1 (Texto da autora).

 

O CEPID BRAINN parabeniza as alunas e seus orientadores pela qualidade dos trabalhos apresentados e por estas importantes premiações!